top of page

Mapa estratégico para negócios conscientes: desvendando a matriz de materialidade no ESG

Imagine que você está prestes a embarcar em uma aventura em um território desconhecido. Antes de iniciar sua jornada, seria sensato contar com um mapa que apontasse as rotas mais importantes, os obstáculos a evitar e os tesouros escondidos. Da mesma forma, a matriz de materialidade funciona como um guia estratégico, auxiliando as empresas a traçarem seu caminho rumo à sustentabilidade.


No processo de criação da matriz de materialidade, são realizadas análises internas e externas, levando em consideração os riscos e oportunidades associados a cada tema. A organização pode coletar informações por meio de pesquisas, consultas a partes interessadas, análise de dados e informações disponíveis, entre outros métodos.


Os temas identificados como materialmente relevantes são aqueles que possuem um impacto significativo na capacidade da organização de gerar valor sustentável no longo prazo. Eles podem variar de acordo com o setor de atuação, o contexto regulatório, as expectativas dos stakeholders e outros fatores específicos.


A matriz de materialidade é geralmente representada em formato gráfico, com dois eixos principais: grau de impacto para a organização e grau de relevância para os stakeholders.

A matriz também pode ser dividida em quadrantes, que representam diferentes combinações de importância. Os temas posicionados no quadrante superior direito, identificados como assuntos materiais, são considerados prioritários e exigem uma atenção especial da organização. Por outro lado, os temas posicionados no quadrante inferior esquerdo são considerados menos relevantes e podem ser tratados de forma menos prioritária.

Assim como um mapa indica as rotas mais importantes, a matriz de materialidade permite que a empresa identifique e priorize os temas que são críticos para sua sustentabilidade e para a geração de valor compartilhado. Isso auxilia na definição de metas e estratégias claras, alinhadas com as expectativas dos stakeholders e com os desafios específicos que a empresa enfrenta.


Ao navegar pela complexidade das questões ESG, a matriz de materialidade serve como uma bússola confiável. Ela ajuda a empresa a concentrar seus esforços e recursos nas áreas que mais importam, garantindo que as ações sejam direcionadas aos aspectos mais relevantes e com maior potencial de impacto positivo.


Considerando que os mapas precisam ser atualizados para refletir mudanças na paisagem, a matriz de materialidade também exige revisões periódicas. À medida que o cenário empresarial e as expectativas da sociedade evoluem, é fundamental adaptar a estratégia de ESG para garantir que as ações estejam alinhadas com as necessidades atuais.


Convidamos você a explorar ainda mais a era ESG por meio da matriz de materialidade! Nas próximas edições, aprofundaremos nossos conhecimentos com exemplos práticos de empresas que a utilizaram com sucesso, além de fornecer orientações valiosas para a implementação dessa ferramenta em suas próprias organizações.


Estamos aqui para guiá-los nessa jornada de descoberta e auxiliá-los a traçar o melhor caminho para alcançar uma estratégia de ESG sólida e efetiva. Entre em contato conosco para compartilhar suas experiências e dúvidas, pois adoraríamos ouvir de vocês. Vamos navegar juntos por esse novo território de negócios conscientes!


Autores

Hiago Rolla Martins – Sócio e fundador da Arandu

Fernanda Miranda Tenório – Sócia e fundadora da Arandu

Comments


bottom of page